• rapidinhaleitor2

    Leio e as vezes chego a chorar de rir com as historias das meninas e então resolvi contar a minha.

    Quando mais nova, tinha um namorado daqueles jogadores de Tibia, rock ‘n roll, headbangers, cabeludo. Mas era aquela fase que a menina passa dos 15 para os 18 e muda muito tudo o que gosta e sente ate virar uma mulher.

    Eu como sempre tenho uma tremenda facilidade em me entrosar com as pessoas tinha também com os amigos do meu namorado.

    E tinha um… Especialmente um. Com um sorriso lindo, de falar muita besteira, de deixar qualquer mulher louca. Pelo menos era o que ele dizia de si mesmo. E como meu relacionamento já não estava aquilo tudo, resolvi dar corda pra ver onde íamos chegar.

    Conversa vai e vem, sai com o rapaz. Saímos, bebi umas cervejas lá outras cá, depois saímos e tequila e dose e só alegria. Transamos. Não me lembro muito bem dele, mas posso quase jurar que ele estava transando com as minhas costas. Porque não estava dentro de mim.  Mas ate ai OK, ne? Bêbada a gente não julga muito o quesito masculino que tava mais pra trágico do que para qualquer outra coisa!

    Resolvi uma semana mais tarde repetir a dose, mas sem beber.

    Saímos de novo e dessa vez fomos a uma festa GLS bebi, mas moderadamente e então beleza, pagamos, fomos embora e começou a situação triste…

    Ele tava de moto e estava chovendo, a gasolina acabou. Andamos ate o posto (eu de salto) pra abastecer, e ele me levou em um motel XEXELENTO!!! Dai pega lá pega cá, senti que tinha alguma coisa errada com ele. Mas ok, continuei deixando rolar ne. Então para minha surpresa, quando ele estava sem roupa, eu olhei e vi coisas que não deveriam ser desvistas! Não sabia se eu ria, se chorava, se saía gritando ou se apoiava ele. Fiquei em choque!

    Sabe aquele isqueiro, o mini BIC? Era daquele tamanho!!!!!! E ele ainda me disse:

    -É pequeno mas faz cosquinha gata, hehehe, VERY NICE.

    Very nice? Naquela situação?

    Enfim, como era de se imaginar, não consegui.

    E ainda contei pra todos os amigos dele que ele era o mini BIC e não o comedor das galaxias. O apelido pegou e após 4 anos ainda damos risada dessa situação toda.

  • SMARTPHONE-SEXO

     

    Só de andar pelas ruas da cidade é fácil ver pessoas caminhando com os celulares nas mãos ou até mesmo sentadas nas mesas dos bares com amigos, mas completamente entretidas nas telas dos smartphones. E com tantas redes sociais e aplicativos, hoje em dia é cada vez mais difícil viver sem esse aparelho.

    Mas toda essa tecnologia móvel está se tornando muito mais importante do que pensávamos. Segundo uma pesquisa feita pela consultoria Boston Consulting Group (BCG), em parceria com a empresa de tecnologia Qualcomm, as pessoas estão dispostas a ficar sem diversas regalias, como uma bela noite de sexo, para investir mais em seus aparelhos celulares.

    Isso mesmo, você não leu errado! O resultado mostra que 64% dos entrevistados aceitariam abrir mão de jantares em restaurantes por um ano, mas não ficariam sem seus aparelhos; 50% aceitariam não viajar e 38% disseram que ficariam sem ter relações sexuais por um ano, tudo para não ficar longe de seus celulares.

    Para chegar neste resultado, a BCG pesquisou os principais mercados de telefonia móvel mundo e são eles: Estados Unidos, Alemanha, Coreia, Brasil, China e Índia.

    E você, também prefere abrir mão de várias coisas a ficar sem celular?

     

    Vi no Vírgula UOL

  • 27/01/2015 em: Vídeos

    FMdT #8 – Paris

  •  

    rapidinhaleitor2

    Olá Acid,

    Me chamo M. François tenho 18 anos, a muito tempo estou apenas lendo as histórias mas dessa vez resolvi contar a minha!

    Pois bem… Namoro já faz praticamente 3 anos, e enrolei meu namorado 1 ano até nossa primeira transa, que por sinal foi ótima, ele sempre carinhoso.
    No dia do meu aniversário de 17 anos, resolvemos transar dentro do carro porque estávamos muito afim, aquele calor todo. Mas todos sabemos que no carro não é tão confortável assim né? Fizemos todas as posições possíveis que possa imaginar. Finalizei chupando até ele gozar. Depois que ele já tinha gozado tudo em meu rosto, começamos a sentir um cheiro de queimado.
    Adivinham ? Ele havia colocado uma bateria atrás do banco pra poder tocar o som numa festa. Como o banco  já estava meio desgastado o ferro encostou na bateria e pegou fogo! Ai foi aquele corre corre né, estávamos no meio do mato e saímos pelados. Ele apagou o fogo (literalmente) e fomos embora. Foi um belo presente de aniversário que eu ganhei!
  • Estupro

    A sociedade ensina “não seja estuprada” ao invés de “não estupre”.

      Um estudo feito comandado pela professora Sarah Edwards que aborda violência e gênero mostra que cerca de um terço dos estudantes do sexo masculino forçaria uma mulher a ter relações sexuais, se ninguém ficasse sabendo e isso não fosse trazer nenhuma consequência. E a maior hipocrisia de todas vem quando muitos delas afirmaram que não rotulariam essa atitude como estupro (migos, vamos entender uma coisinha: se não houve consentimento, é estupro, sim!). Além disso, a pesquisa também quis ver o nível de hostilidade que os participantes tinham em relação às mulheres e ver se isso influenciaria o resultado no “estuprar ou não estuprar”. Para isso, afirmações como “Eu sinto que muitas mulheres flertam com homens só para provocá-los e prejudicá-los” e “Fico irritado facilmente por mulheres” foram feitas para que eles falassem como se sentiam em relação a elas. Outras perguntas ainda mediam a tal da hipermasculinidade (também conhecida por homice nos meios feministas), com perguntas que associava a violência e o perigo como algo exitante ou másculo. O resultado mostra que não existe uma abordagem específica para a prevenção da agressão sexual, sendo que eles ainda são menos efetivos aos que mostraram hostilidade às mulheres (a.k.a. misoginia). Eles chegam a afirmar que é muito importante acabar com a ideia de um estuprador estereotipado, pois isso faz com que a prevenção do estupro seja ainda menos eficaz. E depois desse estudo ainda tem gente falando que “misoginia não existe” e que o feminismo não é mais importante porque “as mulheres já conseguiram todos os seus direitos e agora são iguais aos homens”. Risos.   Matéria do Vírgula

Joe Black Desenvolvimento: Pub Web Agência Digital