• SOBRAMULHERES

     

    Sobram mulheres na sociedade brasileira. Uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada nesta quarta-feira (17) indica que elas são 51,4% da população, contra 48,6% do sexo masculino. Considerando a divisão por estados, as mulheres são maioria sobre os homens em 20 unidades da Federação conforme o quadro.

    O Rio de Janeiro é o estado brasileiro que mais concentra mulheres, de acordo com o IBGE. São 53,2% de cariocas do sexo feminino contra 46,8% do masculino. Na região metropolitana do Rio de Janeiro, a diferença é ainda maior: 53,6% de mulheres contra 46,4% de homens.

    Na segunda posição, aparece o Distrito Federal, onde a população é formada por 53,1% de mulheres e 46,9% de homens. O terceiro lugar pertence a dois estados nordestinos, Pernambuco e Alagoas, onde 52,5% da população é feminina e 47,5%, masculina.

    Em São Paulo, estado mais populoso do Brasil, 51,5% da população é formada por mulheres e 48,5%, por homens. Na região metropolitana, a diferença é maior: 52,1% de mulheres e 47,9% de homens.

    Em três estados brasileiros, existe um empate entre o percentual de homens e de mulheres — é exatamente meio a meio, segundo o IBGE. São os casos do Acre, Mato Grosso e Goiás.

    Maioria de homens

    Os homens são maioria em apenas quatro estados: Rondônia, Roraima, Amazonas e Pará. Em Rondônia, 50,7% da população é do sexo masculino. Na segunda posição, aparece Roraima, com 50,2% de homens. Dividem a terceira posição Amazonas e Pará, com 50,2% de homens cada.

    As informações estão na Síntese de Indicadores Sociais 2014, feita com base na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) 2013, no Censo Demográfico 2010, na Projeção da População do Brasil por sexo e idade 2013, em dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), do Ministério da Educação, e SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade), do Ministério da Saúde.

    O estudo traz informações sobre demografia, famílias, educação, trabalho, rendimento e domicílios, apresentando novas abordagens, como a análise das diferenças por gênero, cor e raça e idade.

     

    Matéria do R7

  • rapidinhaleitor

     

    Olá Acid,

    Eu trabalho em concessionária e depois de um certo tempo comecei a ter interesse por uma pessoa de lá e modéstia à parte não precisei de muito esforço para conseguir o que queria. Depois de uns 4 meses ficando ainda existia aquele fogo, e como eu nunca conseguia sair cedo nós eramos um dos últimos a sair da loja.
    Até que um dia eu fui ao banheiro e ele veio atrás, na hora não pensamos muito nas consequências e começamos ”aqueles amaços”. Uns 10 minutos depois o gerente da loja foi ao banheiro masculino (ao lado do feminino, onde estávamos) e quando saiu começou:
    -Cadê a Bel?
    E já tinham notado a falta de quem estava comigo também. Resumindo, a pessoa saiu do banheiro e falou que estava fazendo o n°2 e que era melhor ninguém entrar porque o cheiro estava muito ruim. Depois de 30 minutos eu sai do banheiro e inventei a desculpa de que tinha ido ao buteco da esquina fazer um lanche e tinha acabado de entrar no banheiro pra lavar a mão. Como era possível ninguém ter me visto ? Com certeza ninguém acreditou, mas também não questionaram.
    Meu conselho? No banheiro da empresa NUNCA !

  • tirinha

     

     

     

    Essa tirinha entrou no blog pelo Sistema de Cotas de Identificação, nunca me identifiquei tanto.

  • 961372_744038395665538_1073778592_n

  • Eu simplesmente adorei essa música, é o tipo de Sex Music que eu curto, quem canta é Tab Benoit e quem indicou foi o Otávio Prestes.

     

Joe Black Desenvolvimento: Pub Web Agência Digital