• Para quem tava muito ocupado e ainda não sabe, estou lançando um livro! Pois é quem diria né?

    Na próxima semana o livro deve entrar em pré venda nas melhores livrarias, quando entrar volto aqui para avisar todos vocês, enquanto isso quero a ajuda de vocês para decidir em quais cidades faremos os lançamentos.

    Como o Brasil é um país enorme teremos que fazer a escolha democraticamente, então selecionamos as cidades que mais acessaram o blog nos últimos meses e nada melhor que vocês mesmos escolherem né?!

     

    lançamento

     

     

  • app-mulheres-historia 

    Você conhece o aplicativo Field Trips (aquele que ajuda os usuários a descobrirem coisas bacanas sobre as cidades e bairros que visitam)? Saiba que ele recebeu uma atualização super legal, chamada Woman In The Map (em tradução Mulher no Mapa), que te avisa quando você está passando por um lugar que uma mulher fez história e te manda uma notificação contando o que aconteceu lá.

    As responsáveis pelo projeto são as mulheres do movimento feminista Spark, e tudo começou quando elas fizeram uma pesquisa e notaram que existe uma diferença muito grande entre homens e mulheres que receberam honras como nomes de ruas, estátuas e selos graças aos seus feitos históricos. Elas perceberam também que entre 2010 e 2013, menos de 20% dos Doodles, do Google, homenageavam mulheres.

    Foi quando foi confrontado sobre o assunto que o Google, além de garantir que mudaria a situação, convidou as meninas para criar um banco de dados e dar início a essa iniciativa, que é feita exclusivamente por mulheres e voltada para mulheres.

    Atualmente o banco conta com 100 nomes, entre eles os de Arpilleristas (Santiago, Chile), que tece tapeçarias que documentam a violência e o tumulto do regime de Pinochet, e o de Mary Anning (Lyme, Inglaterra), uma geóloga renomada, que encontrou fósseis de Plesiosauria (um réptil marinho já extinto).

    Elas convidam todas nós a sugerirmos outras mulheres de outros lugares do mundo para fazer parte do app, basta enviar para o email sparkteam@sparksummit.com uma biografia da mulher em questão com algo entre 150 e 300 palavras.

     

     

    Vi no Vírgula

  • rapidinhaleitor2

     

    Olá Acid, depois de muito ler as histórias resolvi contar a minha. Namoro a exatamente dois meses e no início nos  nunca havíamos falado coisas sexuais e nem trocado fotos, quem dirá pessoalmente (custou rolar uma mão na bunda) até que fui na casa dele pela primeira vez antes de oficializarmos o namoro e só tinha o meu cunhado em casa. Fomos para a casa dele na desculpa que ele iria trocar de roupa pra irmos ao shopping mas não rolou a ida ao shopping, assim que chegamos lá subimos para o quarto dele e começou a rolar os amassos quentes, mão naquilo e aquilo mão , fechamos a porta e as cortinas e começamos a fazer ali mesmo a nossa “ida ao shopping”.

    Depois de uma longa preliminar chegamos finalmente ao ponto e foi quando o meu cunhado soltou um grito do outro quarto (tão feminino que poderia jurar que era minha sogra) e eu e meu namorado tremíamos igual duas varetas verdes, foi roupas jogadas um para outro e aquela correria para disfarçar o que estava acontecendo (coloquei minha calcinha do lado do avesso). Então meu namorado desceu chamando a minha sogra e nada dela responder, fiquei no quarto tremendo e tendo um ataque do coração, foi quando ele subiu e o irmão dele soltou outro grito. Na hora queríamos matar o menino, mas ele estava de fone.

    Moral da história na nossa primeira vez fomos ridiculamente interrompidos pelo gritinho do irmão. Na hora ficamos muito revoltados hoje rimos demais dessa história.

     

    ______________________________________________

    A Suzy nos enviou essa história por email, se você também tem uma legal pra contar manda pra gente. O email é canalacidezfeminina@gmail.com.br

  • rapidinhaleitor2

     

    Olá, Acid. Me chamo B. e moro na Bahia.
    Faz mais ou menos um ano que conheci meu atual namorado. Logo quando estávamos nos conhecendo aconteceu essa situação.
    Estavamos num barzinho e então a gente resolveu ir pra casa. Foi então que ele resolveu que a gente devia estender a noite e ir pra casa dele. 
    Era a primeira vez que ele me levava lá. E a nossa primeira vez. Subimos então pro quarto e começou aquelas coisas. Sem fazer muito barulho também, pois os pais dele poderiam acordar.
    Estavamos lá na hora do vamos ver. Quando de repente. Faltou energia total. Isso mesmo. A cidade apagou geral. Mesmo assim ainda tentamos continuar. Mas ai a mãe dele botou a cara na janela do quarto, achando que tinha alguém  (realmente tinha). Ficou tentando olhar. E eu lá sem poder fazer qualquer barulho. E a mãe dele puxando assunto. 
    Resultado, depois da transa ainda esperamos mais de uma hora pra eu poder sair da casa dele e nada da energia voltar

  • Alguémlegal

Joe Black Desenvolvimento: Pub Web Agência Digital